quinta-feira, 23 de abril de 2009

Três pequenas histórias

Umberto Eco é um autor genial, quer para adultos, quer para crianças. Foi ao folhear um livro dele numa livraria, destinado a crianças, que resolvi adquiri-lo, e não estou nada arrependida.

Chama-se a obra "Três Pequenas Histórias", publicada pela editora Caderno, reunidas para ilustrar que alguém tão atento à filosofia, à sociologia, ao mundo, consegue entrar no mundo das crianças.

São apenas três histórias, mas dizem muito e dizem tudo sobre a natureza do ser humano. Elas tocam em temas do quotidiano, partindo de desenhos e de segmentos das histórias que colocam as crianças motivadas até ao fim da sua leitura.

As temáticas são a guerra, em "A bomba e o general", a par do desejo desmesurado daqueles que, para terem protagonismo, decidem construir bombas para lançarem sobre as cidades. Mas o general acaba por aprender uma lição, quando as pessoas e as crianças fazem nascer flores a partir dessa bombas. É assim que o general deixa de ser importante. Uma lição para os poderosos e para aqueles que acham que o mundo é apenas deles.

Na segunda história, "Os três cosmonautas", aborda-se a temática da xenofobia, da interculturalidade. Apesar do encontro dos cosmonautas de nacionalidades diferentes com os marcianos no espaço e não conhecerem as línguas, tudo fica resolvido, mesmo quando os gostos são diferentes, os aspectos, os hábitos, etc... No final o narrador conclui: "Tinham compreendido que na Terra, como nos outros planetas, cada um tem o seu próprio gosto, é apenas uma questão de se aceitarem as diferenças"(p.74). Mas é uma história que pode ser uma motivação para as actividades do Ano Internacional da Astronomia. Ensina e nutre o gosto pelo espaço, pelo universo. Fascina!

Na terceira história, "Os GnOMos De gNU", surge o problema da poluição da Terra criticada pelos gnomos e uma crítica aos responsáveis dos países que não querem ver o que se passa à sua volta. Reparem: "E enquanto falava, o ministro escorregou numa pastilha elástica que um outro ministro tinha cuspido para o chão. Partiu as pernas, esmagou os lábios, o queixo, as duas narinas, o ombro, a testa e ficaram-lhe os dedos presos nas orelhas, de tal maneira que não conseguia endireitar-se. Na grande confusão que se seguiu, o ministro foi deitado no passeio no meio dos sacos de imundície que já ninguém recolhia há muito tempo, e ficou ali a encher-se de fumo, respirando as exalações que saíam dos escapes das máquinas" (p. 108). Vão ser os gnomos que irão resolver a situação e dar sugestões aos humanos para resolverem os problemas ambientais.

É uma obra que é essencialmente pedagógica, transmite ideias e conceitos bem actuais, a explorar em várias áreas e consegue provocar o diálogo, pois põe os alunos a reflectir, a trocar ideias e lança desafios. É assim que nasce a verdadeira cidadania.

Umberto Eco é apelidado de "fabricante de palavras" pela sua faceta de contista, acompanhado por desenhos de um pintor, Eugenio Carmi, um "fabricante de imagens". Quem ler o livro irá ser, com toda a certeza, um "fabricante de mentes sãs".

Isilda Lourenço Afonso

4 comentários:

Marta disse...

Olá,

Vou tomar nota, vai ser um bom livro para ler com a minha filhota.
Obrigada pela sugestão.
bj

Cristina Bernardes disse...

Mais um livro a adicionar à minha lista...
Vou recomendá-lo também aos alunos que estão a desenvolver o projecto do ambiente, visto que a terceira história está relacionada com a ecologia.
Obrigado Isilda.

Lídia disse...

Já tinha ouvido falar desta versão de Umberto Eco para jovens, mas ainda não li o livro. Mais uma vez, despertaste a minha curiosidade, e de que maneira! Os temas abordados nos contos são merecedores do meu apreço, considero-os pertinentes e valiosos. Gosto da faceta interventiva da literatura. Para além de ser uma arte, também penso que deve desempenhar uma função de intervenção na sociedade, depois de fazer o seu retrato, a sua diagnose. São facetas que julgo conciliáveis, poderosas e admiráveis.
Vou ler este livro, com toda a certeza, pelo prazer que irá dar-me a leitura destas "Três Pequenas Histórias" (que me parecem GRANDES) e porque também pretendo ser "fabricante de mentes sãs", como tu muito bem dizes.
Obrigada pela sugestão!

Lídia Valadares

O meu olhar disse...

Olá! td bem?
Obrigada pela visita e pelo comentário! Também gostei muito dos seus blogs! Parabéns! Aproveito para lhe deixar o endereço de outro blog que tenho onde coloco trabalho manuais meus e também os que faço com os meus alunos: www.tudoquesefaz.com
beijo e um bom fim-de-senama