quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Marley e Eu

Esta foi a minha penúltima leitura Marley e Eu: A vida e o amor do pior cão do mundo é um livro não-fictício escrito pelo jornalista americano John Grogan. Através de uma narrativa em primeira pessoa, John Grogan relata a história real de seu cão da raça labrador americano chamado Marley e sua participação durante 13 anos na sua vida.

SINOPSE: "Quando John e Jenny se casaram, decidiram logo que queriam ter filhos, e para testar se seriam ou não bons pais, resolveram comprar um cão este que foi baptizado de Marley, em homenagem ao cantor de reggae Bob Marley. Com o tempo, o cão foi tornando-se um forte labrador com mais de quarenta quilos que, ao longo de seus treze anos de vida, colocou seus donos em situações embaraçosas e hilariantes, mas mostrou, ao mesmo tempo, o que realmente é importante na vida."
A MINHA OPINIÃO:
Como amante do mundo canino, li este livro e... deliciei-me. O livro é ternurento e fala sobre um casal de recém-casados que decide adquirir um cão - sem saberem - "o pior cão do mundo"... mas isso é o que todos nós dizemos cada vez que os nossos se lembram de fazer alguma asneira.Na tentativa de perceberem se já estariam prontos a assumir a responsabilidade dos filhos o casal decide adquirir um cão… isto, depois de uma tentativa falhada com uma simples planta. O livro conta, então, toda a história dos primeiros anos de vida deste casal, numa perspectiva muito particular, as acções e vida de Marley. Em suma, de tudo um pouco. Episódios divertidos, alguns não tanto. O livro relembrou-me todos os animais que já passaram cá por casa... e identifiquei-me com todas a peripécias. Desde os momentos em que chegaram/nasceram, idas ao veterinário, trapalhadas, doenças, encontros com abelhas, momentos de ternura. Regra geral, quem tem um cão minimamente enérgico, sabe que o nosso é sempre o pior do mundo. Contudo, tal como acontece neste livro, estes seres marcam pela sua presença, amizade, carinho, amor incondicional. A única coisa que nos pedem é um mínimo de cuidado e atenção. Esta é a receita mais instantânea possível para ter uma amizade cega e inquestionável. Para quem gosta de animais, Marley e Eu, o livro é uma indiscutível presença na biblioteca.
Pegadita

2 comentários:

Cristina Bernardes disse...

Tb já li e achei realmente engraçado... lê-se muito bem e é um livro muito fácil de ler!!! Ternurento, também recomendo!

Maria Manuel disse...

Para quem gosta de animais e já teve pelo menos um gostará certamente deste livro. Li-o há algum tempo, praticamente logo após ter saído e li-o de uma acentada. relembrei-me das peripécias do meu próprio cão, já falecido, e de como ele era traquinas... E no final chorei de emoção.