quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Votos de Um Feliz Natal


A Floresta das Leituras deseja a todos os seus seguidores e amigos um Feliz e Santo Natal

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

A Nuvem ou o Sonho de ser Almofada



«O sol brilhava alto no céu quando as primeiras nuvens começaram a aparecer no horizonte. Cinzentas e brancas, rebolavam as nuvens, umas sobre as outras, brincando com o vento, com risinhos e gargalhadas. Oceana olhava para as suas irmãzinhas com carinho e doçura, mas já cansada da brincadeira...»


quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Mal-entendidos

Mal-entendidos

Da Hiperactividade ao Síndrome de Asperger
da Dislexia às Perturbações do Sono
As respostas que procura

A quem se destina:
A pais, educadores, professores, psicólogos, médicos e a todos outros agentes educacionais que tenham que lidar frequentemente com crianças com comportamento atípico, como a Hiperactividade ou o Síndrome de Asperger.

Sinopse:
Para compreender uma criança temos de voltar ao país das memórias, reviver o que ficou para trás, habitar de novo medos de que nos esquecemos. Olhar com olhos de espanto, chamar filha a uma boneca, e replicar o milagre da criação dando-lhe voz. Para a compreender temos de voltar a pele do avesso, reduzir a dimensão do corpo na medida inversa em que cresce o sentimento. Cada criança é uma história por contar. Por vezes o Capuchinho Vermelho perde-se no bosque e não há beijo que resgate a Bela Adormecida.
Para muitas crianças a sua história pode não terminar bem, e não viverem felizes para sempre. Este livro destina-se a essas crianças e a quem delas cuida: Pais, Professores, Psicólogos ou Médicos, que querem que todas as histórias tenham um final feliz, e não deixam o Espelho Mágico dizer a nenhuma criança que há alguém mais belo do que ela.

Excertos da obra
“…Este livro é escrito por um médico com uma família idêntica à dos seus doentes. Ao terminar a consulta quantas vezes me perguntam: “Senhor Doutor, e as suas meninas?”. Navegamos as mesmas águas, partilhamos as mesmas insónias. A sua experiência é a minha experiência, as suas dúvidas as minhas dúvidas. Como achar a solução senão em conjunto? Por isso este é um livro apaixonado, uma carta, diria. Estão no endereço os outros pais, meus iguais, e os professores a quem devo a vida, quando tocam a vida das minhas filhas.

Mal-entendidos é um título ambíguo, de sentido duplo, como dupla é a sina das crianças de que neste livro se fala, vítimas muitas vezes da natureza invisível das suas dificuldades, e lidas como se escrevessem em língua estranha. Procurei outros títulos - “Não existem crianças preguiçosas” - um deles. Gente que me lê: Não sei o que é a preguiça. Verdadeiramente não sei, a não ser que tenha esse nome o desânimo de tantas vezes tentar e outras tantas não conseguir. Porque imputamos às crianças os nossos próprios falhanços? Se não “gosta” de ler, porque será? Não fazemos as perguntas mais simples.

“Antes que seja tarde”. Outro título que traduziria uma parte da intenção desta escrita. Antes do mais é preciso olhar. Melhor: É preciso ver que molas impelem os actos, as atitudes, as intenções, e antes que seja tarde lançar a tantos náufragos a mão que os poderá trazer para terra, e não deixá-los prisioneiros de redes invisíveis onde se debatem até faltar o oxigénio, e morrer a criança que trazem dentro. Quando era adolescente, alguém perguntou o que queria ser. Hesitei, balbuciei algo, porque não estava seguro de que o querer e o poder fossem irmãos. Quem o perguntou, uns segundos depois deu a resposta: “Sabes”, e fez uma pausa, “tu podes ser, quem quiseres ser”. Ainda hoje me recordo do impacto daquela frase tão simples. De repente abriam-se janelas, portas, desabavam paredes: Estava livre! Por dentro repeti:”Eu posso ser quem quiser ser, …eu posso ser quem quiser…eu posso”. Professores: façam sentir aos vossos alunos que podem ser quem quiserem ser, porque caso contrário nunca serão quem poderiam ter sido. O maior privilégio de um professor é também a sua maior responsabilidade: tocar o destino de uma criança, moldar uma vida. Haverá profissão mais nobre? Tarefa mais importante?...”

“…As crianças descritas neste livro são iguais a todas as outras. Têm problemas, é certo, dificuldades que não surgem sozinhas, antes misturadas com outras contrariedades, e embrulhadas no bem e mal que lhes fazemos. São novelos de fios de várias cores. Se só virem uma, é bom que olhem outra vez. O meu maior desejo é que este livro vos ajude a ver, vos faça compreender que a maior obrigação de um adulto é permitir que uma criança tenha os instrumentos para construir a sua vida, olhos que permitam analisar, cabeça limpa que interroga sem preconceitos, coração com o gosto do belo e do bom. Os pais somos nós, mas os educadores somos todos…”

O Autor: Nuno Lobo Antunes
Nasceu em Lisboa a 10 de Maio 1954. Em 1977, licenciou-se em Medicina, pela Faculdade de Medicina de Lisboa.

Foi Assistente Hospitalar de Pediatria e Coordenador da Unidade de Neuropediatria do Hospital de Santa Maria, em Lisboa. Foi Membro da Comissão de Neurologia do “Children Oncology Group”.

Foi consultor de Neurologia Pediátrica para o Departamento de Neurologia e Pediatria do Memorial Hospital for Cancer and Allied Diseases e para o Presbyterian Hospital em Nova Iorque.

Foi ainda Professor Auxiliar de Neurologia e Pediatria na Cornell University Joan & Sanford I. Weill Medical College

É actualmente Director Médico e Coordenador das áreas de Neurodesenvolvimento e Neurologia do CADIn, Consultor de Neuropediatria do Serviço de Pediatria Hospital Fernando da Fonseca e Consultor de Neurologia Pediátrica do IPO, em Lisboa.

Membro da American Academy of Neurology, da Child Neurology Society, da Children Cancer Group Tri-State Pediatric Neurology Society, da Society for Neurooncology, da Sociedade Portuguesa de Pediatria, da Sociedade Portuguesa de Neurologia e da Academia Ibero-Americana de Neurologia Pediátrica. “Sinto Muito” foi o seu primeiro livro, editado em 2008, foi e ainda é um enorme sucesso.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Reflexão...

Tudo o que é belo, é um ser perfeito
que a si mesmo se ilumina.
A vida não deve ser
um romance que nos é dado,
mas um romance que nós próprios construimos.
Estamos próximos do despertar
quando sonhamos que sonhamos.

Novalis
Poeta e filósofo alemão do romantismo

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Curiosidades... muito interessante...


segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Eça Seduzido e Sedutor

"No dia 21 de Novembro, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Lamego, as nossas colaboradoras Cristina Bernardes e Isilda Afonso estiveram, mais uma vez, em destaque. Os amigos e todos os que gostam de literatura e, em especial, de Eça, acorreram e encheram o Salão para a apresentação pública da obra “Da Decadência à Regeneração – Jacinto e o Percurso de Auto-Descoberta em A Cidade e as Serras”, da autoria da Dra. Cristina Bernardes.
A apresentação esteve a cargo das Drªs Isilda Afonso e Lídia Valadares, e foi abrilhantada ainda com uma dramatização de um excerto, cheio de humor, da obra analisada, por alunos do Colégio.

No final, o público estava rendido à excelência da obra e mostrava-se deleitado pela eloquência da apresentação.

Aos costumes, diz-se quanto à edição, que ela foi da responsabilidade da Papiro Editora e, quanto à autora, que para além de nossa colaboradora neste Blog, é responsavel pelos blogs Floresta das Leituras e Fascínio das Palavras e, é Directora Pedagógica do Colégio da Imaculada Conceição, onde desempenha funções de administração e gestão pedagógica do ensino e da qualidade cultural."

Via Cogitar
Obrigado Dr. Manuel Afonso pela Divulgação e Carinho.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Aprender...



"Ninguém ignora tudo. Ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa. Todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre."
Paulo Freire

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Um Ponto de Luz

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Sorriso


“Nunca deixes de sorrir, nem sequer quando estás triste porque nunca sabes quem se poderá apaixonar pelo teu sorriso.”

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Resultados do passatempo - A Verdadeira História sobre Geronimo Stilton

O passatempo A Verdadeira História de Geronimo Stilton chegou ao fim...

Das 36 participações... duas foram seleccionadas para receberem A Verdadeira História de Geronimo Stilton...


A primeira frase seleccionada é a  Vanessa Casais de Parede com a seguinte frase:
Adoro ler histórias para o Afonso
Já o fazia quando estava na barriga
Adoro falar-lhe de outros espaços,
Um livro é uma outra vida,
Faço vozes, gestos e ele fica a olhar
Sei que gosta de me ouvir
Não lhe leio só para se ir deitar
Leio-lhe sempre que me pedir
O Afonso vai crescer assim
E embora ainda não saiba ler
Tenho cá para mim
Que vai dar muito prazer!


A segunda pessoa seleccionada é a Liliana Martins da Maia:
«O prazer de ler histórias infantis está na magia de voltar a ser menina e acreditar que tudo é possível, acreditar em heróis e desejar que o bem triunfe sempre, voar na magia das palavras e criar mundos imaginários fantásticos em que existe um "É foram felizes para sempre".»


Obrigado a todos pelas vossas participações.
Divirtam-se lendo...

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Teatro de Rabiar, recomendado pelo Plano Nacional de Leitura

"No ano lectivo 2007/2008, a Direcção Pedagógica do Colégio da Imaculada Conceição decidiu abraçar um projecto de reescrita da história da carochinha; projecto que nos foi proposto pelo escritor lamecense Fernando Branco Marado.

Esta iniciativa envolveu a turma de 4º ano do Ensino Básico e o Professor Fernando Marado num trabalho moroso, mas cuidado, de reflexão e de ponderação sobre a língua portuguesa neste conto tradicional português. Após vários meses de trabalho, o resultado foi o livro Teatro de Rabiar todavia, o empenho destes alunos foi mais ambicioso e, com o apoio de vários professores do CIC, desde a professora titular, os professores de EVT e a professora de Língua Portuguesa do 2º e 3º ciclo do Ensino Básico, prepararam a dramatização “A Carochinha e o João Ratão”.

Foi com imenso prazer que os Alunos, Encarregados de Educação e Direcção do Colégio da Imaculada Conceição receberam a notícia que o livro Teatro de Rabiar, que tinham realizado com o Professor Fernando Marado, é um dos livros recomendados pelo Plano Nacional de Leitura para os 3ºano, 4ºano, 5ºano e 6º ano do Ensino Básico.

A notícia foi dada aos alunos, agora no 6º ano no Colégio da Imaculada Conceição com alegria e recebida com euforia pelos mesmos, no dia em que foi divulgada no site da Papiro Editora, no dia 10 de Novembro com a seguinte recomendação: Teatro de Rabiar «Duas histórias, A Carochinha e o João Ratão e a Velha da Cabaça, adaptadas para teatro. Uma forma ainda mais divertida de as crianças conhecerem estes dois clássicos da literatura infantil». Um livro recomendado para apoio a projectos relacionados com Música e Artes em geral.

Assim, pelo prestígio e valorização do trabalho dos nossos alunos, a Direcção Pedagógica do Colégio da Imaculada Conceição agradece o convite feito pelo Professor Fernando Marado (com quem desenvolvemos, no ano transacto, o projecto Ardínia e Tedo) para a colaboração no livro Teatro de Rabiar.

Queremos ainda, em nome de toda a comunidade educativa do CIC, dar os parabéns aos nossos alunos que no ano lectivo 2007/2008, tanto se empenharam e se dedicaram neste projecto. Esta recompensa é bem merecida pelos nossos discentes, porque tudo o que se faz no âmbito da Educação no Colégio da Imaculada Conceição, é em prol da qualidade do processo ensino-aprendizagem dos mesmos."

domingo, 15 de novembro de 2009

Nuvem de Fumo


LIVRARIA PÓ DOS LIVROS, um espaço fundamental em Lisboa, na Av. Marquês de Tomar. Um espaço dedicado aos livros e àqueles que os veneram e que os devoram. Entre a Gulbenkian e a Igreja de Nossa Senhora de Fátima, é a mais recente aposta de Bárbara e Jaime Bulhosa. Moderno e cosmopolita, veste-se de preto e branco e conta com os livros para colorir as prateleiras. No interior do espaço, há ainda um café, para quem quiser dar um descanso aos olhos e um gostinho ao dente. Destaque para o espaço infantil.
No próximo dia 28 de Novembro, pelas 16hoo, numa sessão de autógrafos, será apresentado o livro NUVEM DE FUMO, de J.J. Silva Garcia, com prefácio de Maria de Belém Roseira, numa edição da Editora O cão que lê.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Prometo-te...

Prometo-te a palma da minha mão para a escrita.
Cerca-a de magnólias, cerca-me. Podes fechar a escrita
No interior da mão ou na boca dos livros
Podes esquecê-la ou libertá-la dos mil botões
Que ela sopra no interior dos homens.

Daniel Faria, Poesia, p.334

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Passatempo - Nova Aventura sobre Geronimo Stilton

Cuscacúsqui Ratatz
Título Original: La Vera Storia di Geronimo Stilton
Tradução: Carlos Grifo Babo
Páginas: 128
Colecção: Diversos Infantis Juvenis Nº 80
PREÇO COM IVA: 12,50€
ISBN: 978-972-23-4262-9
Código de Barras: 9789722342629
Data de Publicação: 17 de Novembro 2009

Para quem aprecia as aventuras de Geronimo Stilton, e são muitos os leitores que acompanham as suas peripécias, há agora uma novidade. A Verdadeira História de Geronimo Stilton, de Cuscacúsqui Ratatz, além de revelar quem é o rato-editor mais famoso do mundo, tem um novo formato. Ao contrário dos livros já conhecidos, esta nova edição, que pode ser lida isoladamente, apresenta-se com capa dura. Uma capa mais resistente que permitirá às crianças um manuseamento sem reservas.

«Cuscacúsqui Ratatz nascida em Ratázia (Ilha dos Ratos), formou-se em Jornalismo e Rato comunicação. Começou a sua brilhante carreira colaborando nalguns jornais de escândalo da sua cidade, entre os quais Top Secret, Curiosíssimos! e Atenção Àquele Rato. Fundou depois A Boataria, que se tornou o jornal de escân¬dalo mais vendido de Ratázia. A Verdadeira História de Geronimo Stilton, escrito em colaboração com Patati Descarado e o famoso fotógrafo Red Paparatz, é o primeiro livro desta jovem mas já famosíssima jornalista.»

A Verdadeira História de Geronimo Stilton é uma aventura infantil, em estilo biográfico, que retrata a vida de Geronimo Stilton, o rato-editor mais famoso da Ratázia e que já conquistou milhares de leitores em Portugal com as suas próprias aventuras.

A Editorial Presença em conjunto com a Floresta das Leituras propõem mais um passatempo aos seus leitores com oferta de 2 exemplares do livro infantil A Verdadeira História de Geronimo Stilton.

Para se habilitarem a ganharem um dos livros precisam apenas de escrever uma frase sobre o prazer de ler histórias infantis.

O passatempo decorrerá até às 23h59 do dia 17 de Novembro e as respostas deverão ser enviadas para o e-mail fasciniodaspalavras@gmail.com com respectivo nome, morada e respectivo e-mail do participante.

Os vencedores serão escolhidos pela originalidade/ criatividade das suas frases. Os vencedores serão notificados por e-mail e também revelados aqui no blogue. Só serão aceites uma participação por pessoa e o passatempo só é válido para residentes em Portugal.

Aproveitem este passatempo, BOA SORTE a todos os participantes. :O)

domingo, 8 de novembro de 2009

Semear leituras...

“Semear leituras é desenvolver leitores competentes, é semear criatividade, é aumentar a curiosidade e a inteligência e, assim, promover a aprendizagem e o saber.”

Armanda Zenhas

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Biblioteca Digital Mundial

Foi aberta na passada terça-feira em Paris a Biblioteca Digital Mundial, sobre a égide da Unesco.


Para quem gosta da investigação, da literatura e história, de consultar e ler comentários e manuscritos raros, tem aqui um manancial de informação.
 
Visite e disfrute deste novo espaço...
 
Cortesia do blogue Cogitar - Via Manuel Afonso

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Junia ou a Justiça de Trajano... a 17 de Novembro

A Editorial Presença vai publicar no dia 17 de Novembro o livro: Junia ou a Justiça de Trajano, o novo romance histórico de Theresa Schedel, vencedora do prémio Maxima.

Páginas: 200
Colecção: Grandes Narrativas Nº 451
PREÇO COM IVA: 14,90€
ISBN: 978-972-23-4257-5
Código de Barras: 9789722342575
Data de Publicação: 17 de Novembro 2009

«Em Portugal, por volta de 1480, trava-se uma guerra implacável entre o poder real e os privilégios da nobreza. A 31 de Maio de 1483, o duque de Bragança, D. Fernando, senhor do maior domínio territorial, é feito prisioneiro em Évora. Theresa Schedel cria um enredo ficcional a partir deste facto histórico recriando a complexa intriga palaciana, a cultura, os modos de viver, as mentalidades e os ambientes da época, através de uma multiplicidade de perspectivas, em páginas onde o ritmo da acção é intenso e prende leitor até ao culminar do trágico julgamento do duque de Bragança.

Theresa Schedel é um nome bem conhecido do público português, inicialmente pelas suas obras de cariz histórico: Os Painéis de São Vicente de Fora – As Chaves do Mistério, Os Painéis de São Vicente de Fora – Investigação ou Adivinhação? ou ainda os Primeiros Tempos dos Portugueses na Índia – que a deram a conhecer aos leitores. Mais tarde, estreou-se na ficção com As Casas da Celeste, obra editada pela Presença, a que se seguiram A Morte de Uma Senhora, O Mosteiro e a Coroa (Prémio Máxima de Literatura, 2006), e Uma Família Diferente. O seu ensaio Na Rota da Pimenta, publicado também pela Presença, suscitou críticas muito elogiosas e foi distinguido com o Prémio Máxima de Ensaio 2008.»

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Resultados do passatempo A Melodia do Adeus

O passatempo Nicholas Sparck chegou ao seu termo...

Das 93 participações... três foram os escolhidos para receberem A Melodia do Adeus de Nicholas Sparck.

A primeira seleccionada é a Patricia Liliana Ferreira (Sande) que vai receber o exemplar autografado.

Os outros dois seleccionados são:

. Filipe Costa (Vila Nova de Gaia)
. Paula Reguengo (S. Julião do Tojal)

Parabéns a todos os participantes...
A Floresta das Leituras agradece as vossas participações.

As respostas da Patricia:
1- Quantos títulos de Nicholas Spark tem a Editorial Presença publicados (incluindo A Melodia do Adeus )?
R. 16

2- Qual o livro na bibliografia deste autor que pode ser considerado autobiográfico?
R. Três Semanas e Meia com o Meu Irmão.

3- Quais dos seus romances foram já adaptados para o cinema?
R. The Notebook (O Diário da Nossa Paixão); Message in a Bottle (As Palavras que nunca te direi);  Walk to Remember (Um momento inesquecível); Nights in Rodanthe (O Sorriso das Estrelas).

4- De todos os livros de Nicholas Sparcks que já leste, qual o que mais te marcou e porquê?
R. As palavras que nunca te direi  foi um livro muito intenso e que me fez perceber que por vezes muito  fica por dizer, e nem sempre temos uma nova oportunidade para falarmos o que sentimos. Fez-me encarar a vida de uma outra perspectiva, posso até afirmar que me fez valorizar cada momento da vida, cada momento passado junto das pessoas que mais amo, e nunca mais deixei de dizer o que sentia, independentemente do momento. Simplesmente fabuloso!!

domingo, 1 de novembro de 2009

Saborear a Simplicidade

"Não existem erros na vida, apenas lições. Não existem experiências negativas, apenas oportunidades para crescer, aprender e avançar ao longo da estrada do autodomínio. Da luta advém a força. Até a dor pode ser um professor magnífico." (Sharma, 2008, p. 54)

O livro “O Monge que Vendeu o seu Ferrari”, toma a forma de uma fábula sobre Julian Mantle, um advogado de alto nível com uma agenda louca e um conjunto de prioridades que o tornam um obcecado pelo dinheiro, poder e prestígio. Mantle representa os valores da nossa sociedade. A história é contada a partir da perspectiva de um dos seus associados, que admira o grande sucesso de Mantle e aspira a ser como ele.
Mas quando Mantle tem um ataque cardíaco, ele desaparece, vende todos os seus bens e vai em busca de uma existência mais significativa. Quando regressa, ele é um homem mudado. Ele aprendeu muito com a vida nos Himalaias, transmitindo conselhos práticos, que ele divide com John, o seu ex-associado.
Ao longo de uma narrativa, cheia de imprevistos e de realidades que todos reconhecemos como nossas, apresenta-se-nos um leque de conselhos e atitudes que deveremos tomar perante a vida. Tudo se resume à simplicidade, à persistência, à coragem, à humildade e ao amor à família. Entre outros rituais que aí nos são aconselhados não poderei deixar de vos citar, para que depois leiam em contexto, aquilo que constitui exactamente o valor do acto de ler no nosso quotidiano:

“…um livro é o melhor amigo dos sábios. Alguns livros são para saborear, outros para mastigar bem e, finalmente, outros ainda são par devorar inteiros. Para tirares o máximo partido de um grande livro, tens de estudá-lo e não apenas lê-lo. Estuda-o bem, trabalha-o, conhece-o como a palma da tua mão. Os sábios liam muitos livros de sapiência que tinham na sua vasta biblioteca, dez ou quinze vezes. Todos os problemas que alguém já teve ou terá, ao longo da sua vida, já foram vividos por outros. Lê os livros certos. Não é o que vais tirar dos livros que se torna tão enriquecedor… é o que os livros vão tirar de ti que acabará por mudar a tua vida (pp. 119-121)”

São palavras como estas que nos movem cada vez mais para a paixão dos livros, tal como nos diz mais adiante, isto para resumir o verdadeiro significado de uma vida simples mas atenta: “Não deixes de ver a floresta para lá das árvores”.

A mística das rosas é outra constante na literatura e aqui é utilizada para definir o nosso percurso de vida: “…uma rosa é muito parecida com a vida – encontras espinhos pelo meio, mas se tiveres fé e acreditares nos teus sonhos, acabarás por ultrapassar os espinhos e chegar ao coração glorioso da flor. Repara na sua cor, textura e forma. Saboreia o seu odor e concentra-te nesse objecto maravilhoso que tens à tua frente.” Lá pode haver algo de mais simples e singelo que uma rosa? Lembram-se da rosa do Principezinho? Agora misturemos a contemplação de uma rosa com a paz de um lago! Ouro sobre azul. E esta, hein?

O livro traz-nos à realidade. Deixemos as correrias e paremos um pouco, apenas para sentir… o silêncio!


Isilda Lourenço Afonso

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Excerto de Melodia do Adeus - Prólogo e 1ª Capítulo

A Editorial Presença oferece-nos momentos de prazer antes da saída do novo romance de Nicholas Sparks, para quem quiser deliciar-se ... veja aqui.

Relembramos que o passatempo A Melodia do Adeus de Nicholas Sparks continua até às 23.59 do dia 3 de Novembro.
 
Obrigado a todos os que já participaram e aos que ainda vão participar.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

O Mistério da Estrelinha Curiosa

Sinopse: "Mas afinal, que mistério é esse que a estrelinha curiosa guarda consigo? será que mais alguém sabe? Bem, para o descobrires, basta leres este livro e tenho a certeza que vais gostar de saber. Depois, se ela permitir, podes também contar aos teus amigos mas... shiu..., muito baixinho, comop se devem contar os segredos mais bonitos!"

Adquiri este livro através do blogue da Leonor: Era uma vez, conta outra vez...

Sabem que gosto muito de ler livros infantis, não tivesse eu duas crianças em casa... E sou bastante exigente nesta vertente da literatura. Gostei mesmo muito do estilo de escrita desta autora de Leiria: rica mas acessível, interessante e cativante. Neste Ano Internacional da Astronomia, é bom verificar que existe uma autora, a Leonor Lourenço que alia a ciência ao conto infantil...
Este livro reteve ainda a minha atenção pelas ilustrações... está excelentemente ilustrado, adorei os recortes... diferentes e irreverentes.
Aguardamos pelo próximo...

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Reflexão


Não controlamos o que sentimos, apenas o que fazemos com esse sentimento.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

As Viúvas de Eastwick


Sinopse: "Nesta deliciosa e sinistra sequela, Updike consegue apreender os sentimentos das mulheres sobre os seus corpos e as suas vidas sexuais, e as suas reflexões sobre a cultura e a desarmonia social são, como habitualmente, brilhantes."

Não podemos gostar de todos os livros, não podemos gostar de tudo o que lemos, não podemos gostar de tudo o que se escreve.

Não consigo acabar As Viúvas de Eastwick, não me consigo identificar com a história, nem com a escrita deste autor.

Como leitora, sei que tenho o "direito" de não acabar um livro como escreve Daniel Pennac em Como um Romance. Todavia, fica-se sempre com aquela sensação... será que algo vai acontecer que nos vai surpreender mais para o final? A minha vontade é não acabar ou pelo menos colocar de parte... mas nunca terei a certeza se no fim existem surpresas ou não?

A verdade, é que independentemente do final, não fui cativada por esta escrita; a história não me seduziu; não houve para mim nenhuma mais valia na leitura desta obra.

A minha opinião vale o que vale, mas este livro não me convenceu.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Passatempo A Melodia do Adeus de Nicholas Spark

"Com apenas dezassete anos, Ronnie vê a sua vida virada do avesso quando o casamento dos pais chega ao fim e o pai se muda da cidade de Nova Iorque, onde vivem, para Wrightsville Beach, uma pequena cidade costeira na Carolina do Norte. Três anos não são suficientes para apaziguar o seu ressentimento, e quando passa um Verão na companhia do pai, Ronnie rejeita com rebeldia todas as suas tentativas de aproximação, ameaçando antecipar o seu regresso a Nova Iorque. Mas será em Wrightsville Beach que Ronnie irá descobrir a beleza do primeiro amor, quando conhece Will e se deixa tomar por uma paixão irrefreável e de efeitos devastadores. Nicholas Sparks é, como sabemos, um mestre da moderna trama amorosa, e, em A Melodia do Adeus, usa de extrema sensibilidade para abordar a força e a vulnerabilidade que envolvem o primeiro encontro com o amor e o seu imenso poder para ferir… e curar."

A Floresta das Leituras tem para oferecer, em conjunto com a Editorial Presença, três packs promocionais referentes ao novo livro de Nicholas Sparks, A Melodia do Adeus, com saida agendada para o dia 3 de Novembro. Cada pack promocional conta com o livro A Melodia do Adeus e um saco; o 1º vencedor receberá o pack com o livro autografado pelo autor.

Para se habilitarem a ganharem um destes packs promocionais precisam apenas de responder a quatro perguntas:

1- Quantos títulos de Nicholas Spark tem a Editorial Presença publicados (incluindo A Melodia do Adeus )?
2- Qual o livro na bibliografia deste autor que pode ser considerado autobiográfico?
3- Quais dos seus romances foram já adaptados para o cinema?
4- De todos os livros de Nicholas Sparcks que já leste, qual o que mais te marcou e porquê?

O passatempo decorrerá até às 23h59 do dia 3 de Novembro e as respostas deverão ser enviadas para o e-mail fasciniodaspalavras@gmail.com com respectivo nome, morada e respectivo e-mail do participante.

Os vencedores serão escolhidos aleatoriamente e só serão aceites participações cujas respostas estejam correctas. Os vencedores serão notificados por e-mail e também revelados aqui no blog. Só serão aceites uma participação por pessoa e o passatempo só é válido para residentes em Portugal.

Divirtam-se com este passatempo, concorram e BOA SORTE. :O)

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Estimular a Leitura... inovações do PLN

O Plano Nacional de Leitura e o Observatório da Língua Portuguesa vão desenvolver um projecto de voluntariado para estimular a leitura em parceria entre adultos e crianças, em instituições como escolas e bibliotecas.
A medida foi anunciada hoje no âmbito da assinatura de um protocolo entre o Plano Nacional de Leitura (PNL) e o Observatório da Língua Portuguesa (OLP), com vista a promover iniciativas para a promoção do livro e da leitura em Portugal e restantes países membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).
"É uma área importante de cidadania em que as pessoas podem ajudar os outros a ler mais e melhor", explica Isabel Alçada, comissária do PNL, realçando que já existem no nosso país diversos projectos de voluntariado de leitura em várias áreas, nomeadamente o apoio à leitura junto de pessoas, crianças e adultos, hospitalizadas.

De acordo com a responsável, o voluntariado será organizado pelo OLP e cabe ao PNL "ajudar os profissionais a gerir o acolhimento do voluntariado pelas instituições com que trabalha - jardins-de-infância, escolas e bibliotecas -, de forma que as pessoas sejam incentivadas a ir".
"Nesta situação dos voluntários irem às escolas ler com as turmas, o que o PNL pode fazer é ajudar a organizar esse acolhimento, enquanto o Observatório ajuda a encontrar pessoas responsáveis e idóneas que queiram ir ler", destaca Isabel Alçada.
A responsável salienta que cabe ao PNL dar formação aos voluntários, o que não considera difícil. "Haverá uma pequena formação, mas, na verdade, para ler com crianças basta pegar num livro e ler a história, estar atenta à criança, ver se ela está a aderir e mostrar-lhe os desenhos, pô-la ao colo quando ela é pequenina, tê-la ao lado quando é maior, basta que a pessoa goste de ler, goste de livros e acima de tudo que goste de crianças", considera.

No âmbito deste projecto, os voluntários poderão também ir a escolas e bibliotecas fazer sessões de leitura em voz alta.
"A leitura em voz alta para grupos também é muito favorável, porque está demonstrado que a oralidade é um factor de domínio da linguagem. A leitura, em grande medida, assenta no domínio que as pessoas têm da linguagem oral: quanto mais se fala bem melhor se lê, quanto melhor se lê mais se fala bem", realça.
O PNL apresenta hoje e sexta-feira, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, um balanço de três anos de actividade, salientando alguns dos vários projectos desenvolvidos a nível nacional para a promoção da leitura.
Entre estes, Isabel Alçada destaca o projecto Crescer a Ler, em colaboração com a Associação Portuguesa de Educadores de Infância, que aderiu ao Programa Start Book e vai dar um livro a cada criança portuguesa, "porque está demonstrado que receber livros gratuitamente em determinado ponto da vida estimula a leitura em família e incentiva o gosto pelo livro".
Destacou também um programa que permite às pessoas em formação nas Novas Oportunidades requisitarem livros que podem ler em casa com os filhos e o Ler + Dá Saúde, projecto desenvolvido por médicos pediatras e de clínica geral junto das famílias, assente no princípio de que ter hábitos de leitura promove o desenvolvimento infantil.
"Quando uma pessoa lê com uma criança, a criança sente que está no foco da atenção do adulto e isso dá uma paz interior muito favorável em todos os domínios do desenvolvimento", sublinha Isabel Alçada.
In Educare

A Melodia do Adeus

A Melodia do Adeus de Nicholas Sparks
Título Original: The Last Song
Tradução: Alice Rocha
Páginas: 368
Colecção: Grandes Narrativas Nº 449
PREÇO SEM IVA: 17,62€ / PREÇO COM IVA: 18,50€
ISBN: 978-972-23-4220-9
Código de Barras: 9789722342209

Data de Publicação: 3 de Novembro 2009

NICHOLAS SPARKS: NOVO LIVRO DO MESTRE DO AMOR

• Tiragem inicial nos EUA: 1.5 milhões de exemplares.
• Traduzido em todo o mundo é especialmente apreciado nos Estados Unidos, Alemanha, Itália, Polónia e Portugal.
• Desde a publicação do primeiro romance foi considerado um caso de prestígio e aceitação pública.
• Aclamado pela crítica estrangeira e portuguesa.

"Com apenas dezassete anos, Ronnie vê a sua vida virada do avesso quando o casamento dos pais chega ao fim e o pai se muda da cidade de Nova Iorque, onde vivem, para Wrightsville Beach, uma pequena cidade costeira na Carolina do Norte. Três anos não são suficientes para apaziguar o seu ressentimento, e quando passa um Verão na companhia do pai, Ronnie rejeita com rebeldia todas as tentativas de aproximação, ameaçando antecipar o seu regresso a Nova Iorque. Mas será em Wrightsville Beach que Ronnie irá descobrir a beleza do primeiro amor, quando conhece Will e se deixa tomar por uma paixão irrefreável e de efeitos devastadores. Nicholas Sparks é, como sabemos, um mestre da moderna trama amorosa, e, em A Melodia do Adeus, usa de extrema sensibilidade para abordar a força e a vulnerabilidade que envolvem o primeiro encontro com o amor e o seu imenso poder para ferir… e curar."

Nicholas Sparks é um autor consagrado internacionalmente pelo público e líder de vendas que há mais de uma década encanta os leitores com narrativas que exploram os profundos mistérios do coração e que o estabeleceram como um dos escritores mais acarinhados em todo o mundo.

CITAÇÕES DE IMPRENSA PORTUGUESA
«Um dos autores que mais vendem no mundo.» - Diário de Notícias
«O menino de ouro da ficção norte-americana.» - Correio da Manhã
«Um dos autores mais lidos em Portugal e no mundo.» - Jornal de Notícias

terça-feira, 20 de outubro de 2009

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Ler devia ser proibido

Ler devia ser proibido... torna as pessoas mais humanas...

E tu o que achas?

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Um Leão chamado Christian

Sinopse: «Quando em 1969 Anthony Bourke e John Rendall decidiram comprar uma cria de leão nos armazéns Harrods, em Londres, não imaginaram que, décadas depois, a sua extraordinária história continuasse a comover gerações de leitores e espectadores. Publicado pela primeira vez em 1971, “Um Leão Chamado Christian” retrata o percurso desta amizade invulgar, desde os primeiros meses de vida em Londres, até ao reencontro inesquecível no Quénia. Esta nova edição, completamente revista e actualizada e contendo ainda diversas fotografias enternecedoras, tornou-se um best-seller do New York Times.»
Quando vi pela primeira vez o vídeo no youtube do reencontro entre dois homens e um leão, fiquei bastante curiosa e perplexa perante tanta familiaridade entre seres humanos e um animal selvagem. Não é de todo frequente ver tal demonstração de carinho e amor entre o rei da selva e o Homem.
Assim, comecei a ler este livro com curiosidade e até alguma apreensão em relação a esta história.
A verdade é que se lê com um sorriso nos lábios... uma história que começa com a compra de um leão e que acaba numa verdadeira e sincera Amizade.
Estamos habituados a ter animais de estimação como gatos, cães, pássaros, peixes... mas com um leão... é fascinante, fabuloso. Uma história que dá gosto ler e reler devido a sua simplicidade e à relação de amizade entre dois homens e um leão.
Aconselho vivamente este livro a todos os amantes de animais... porque esta história é muito mais que uma simples história de amizade.

(adorei a foto da página 65... Ace, John e Christian em Kora)

Motivar para a leitura


Vi este vídeo no blogue da Fernanda e achei um mimo para motivar para a leitura...

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Citações

"Eu sou o mundo, e o mundo sou eu, porque através do meu livro posso ser quem quiser. Palavras e imagens, versos e prosa, levam-me a lugares vizinhos e distantes. (…)A cada palavra em cada página,viajo no tempo e no espaço. E nas asas da fantasia o meu espírito atravessa terra e mar.Quanto mais leio, mais compreendo que, com o meu livro, estarei sempre na melhor das companhias."
Hani D.El-Masri (ilustrador e profissional de cinema)
"Os livros. A sua cálida, terna, serena pele. Amorosa companhia. Dispostos sempre a partilhar o sol das suas águas. Tão dóceis, tão calados, tão leais, tão luminosos na sua branca e vegetal e cerrada melancolia. Amados como nenhuns outros companheiros da alma. Tão musicais no fluvial e transbordante ardor de cada dia."
Eugénio de Andrade (1923-2005)
"Um dia li um livro e toda a minha vida mudou."
Orphan Pamuk, romancista turco, Prémio Nobel da Literatura 2006
"Um livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive."
Padre António Vieira (1608-1697)
"Leio e estou liberto. Adquiro objectividade. Deixei de ser eu e disperso. E o que leio, em vez de ser um trajo meu que mal vejo e por vezes me pesa, é a grande clareza do mundo externo, toda ela notável."
Fernando Pessoa (1888-1935)
“A leitura engrandece a alma.”
Voltaire (1694-1778)
“Os livros são o meu alento, a minha vida e o meu futuro.”
Dostoievsky (1821-1881)
“A leitura de todos os bons livros é uma conversação com as mais honestas pessoas dos séculos passados.”
René Descartes (1596-1650)

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

I Colóquio Ibérico de Literatura Infantil e Interculturalidade III Simposium da red de Universidades Lectoras


«Este evento reúne a primeira edição do I Colóquio Ibérico “Literatura Infantil e Interculturalidade” e o III Simposium da Red de Universidades Lectoras, com a finalidade de reflectir sobre leitura, literatura infantil, interculturalidade e políticas culturais a elas associadas.
Ler é uma competência fundamental dos tempos modernos mas que sofre pressões de novos modos e meios. A literacia multimédia exigida às sociedades do conhecimento e da informação é substancialmente diferente da literacia Guttenberguiana, baseada no livro e na primazia da palavra.
Os novos tempos assim caracterizados ditam novas representações do que é ler e do que define a própria Literatura Infantil e exige de educadores e outros agentes culturais novas políticas de actuação.
"Divisão Digital “ é um termo proposto por Van Dijk (2006), para referir a concorrência do audiovisual com o tempo dedicado à leitura mas também o fosso que se tem cavado entre os que podem aceder a computadores e à Internet e os que não o podem fazer.» Veja Aqui

sábado, 10 de outubro de 2009

Reflexão


"A leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde."


André Maurois

domingo, 4 de outubro de 2009

A Cabana

Sinopse: "As férias de Mackenzie Allen Phillips com a família na floresta do estado de Oregon tornaram-se num pesadelo. Missy, a filha mais nova, foi raptada e brutalmente assassinada. Quatro anos mais tarde, Mack, mergulhado numa depressão da qual nunca recuperou, recebe um bilhete, aparentemente escrito por Deus, convidando-o a voltar à malograda cabana.O que Mack vai encontrar naquela cabana mudará o seu mundo para sempre."
Na sexta-feira entrei numa livraria, dirigi-me à mesa das novidades, agarrei no livro A Cabana, paguei e saí...
Rapidamente comecei a ler, a ler e a ler, sem conseguir parar. Ao abrir este livro, na página 6, senti logo que esta história tinha algo de muito familiar que me iria prender. O seu prefácio cativou-me logo pela interacção que o narrador Willie tem com o leitor; somos chamados a "ouvir" este relato com muita atenção como se fosse a nossa própria vida ou a de um amigo.
"E se Deus marcasse um encontro consigo?"
Este livro, fenómeno mundial de popularidade, baseia-se numa questão central: a bondade de Deus. Mack, após a morte trágica da sua filha mais nova, encontra-se com Deus... e em conversas com o Pai, o Filho e o Espírito Santo, resolve os seus conflitos interiores.
Numa sociedade em que os valores estão em crise e em que todos têm medo das emoções, o sucesso deste livro reside numa escrita familiar, intimista e simplista sobre dilemas que nos assolam a todos, cada dia da nossa vida.
Como vivemos na mentira? Como conseguimos perdoar os que nos fazem mal? Como é possível acreditar em Deus, ter fé num Ser Superior, com tantas crianças a morrerem, com tantos homicídios...? Que tipo de relacionamento temos uns com os outros? Como é que Deus não faz nada para acalmar o nosso sofrimento? Porque morrem tantos inocentes?
"Quem vive dominado pelos medos não encontra liberdade no amor [de Deus]." p.142
"Muitos acreditam que é o amor que cresce, mas é o conhecimento que cresce, enquanto o amor simplesmente se expande para o conter." p.155
Acabamos de ler... queremos mais... e ficamos a pensar:
"e se fosse eu a ter um encontro com Deus?"

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Au pays de silène...

Um pequeno livro de poesia francesa: sincera, clara, divina. Ando dedicada à poesia... que bom!
Ando a aprender a apreciar o ritmo das palavras, o sentido das frases, a delicadeza dos sentimentos. Ando a descobrir novas oportunidades de leituras e de prazer. Poetas pouco conhecidos mas dedicados a uma causa.

Gostei muito!
SOUVENT

"Enivre-toi souvent d'un souvenir d'enfance
Mélancolique objet d'une vie sans saveur
Qui fera malgré tout sortir ton existence
Des rites infernaux qui piétinent ton coeur"

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Reflexão

Ainda acabo a fazer livros onde as crianças possam morar.
Monteiro Lobato

domingo, 27 de setembro de 2009

Poesia

As mulheres aspiram a casa para dentro dos pulmões
E muitas transformam-se em árvores cheias de ninhos - digo,
As mulheres - ainda que as casas apresentem os telhados inclinados
Ao peso dos pássaros que se abrigam.
É à janela dos filhos que as mulheres respiram
Sentadas nos degraus olhando para eles e muitas
Transformam-se em escadas
Muitas mulheres transformam-se em paisagens
Em árvores cheias de crianças trepando que se penduram
Nos ramos - no pescoço das mães - ainda que as árvores irradiem
Cheias de rebentos
As mulheres aspiram para dentro
E geram continuamente.
Transformam-se em pomares.
Elas arrumam a casa
Elas põem a mesa
Ao redor do coração.

Daniel Faria - "Homens Que São Como Lugares Mal Situados" (1998)
Não é fácil colocarem-me a ler poesia... já sabem disso.
Ler poesia tem de ser uma necessidade, um desejo...
Não podemos "amar" a poesia, se esta não nos disser nada; pois bem...! Ofereceram-me este livro de Poesia de Daniel Faria (1971/1999) e ainda bem que o fizeram. Uma história de vida trágica e mística, poemas profundos que aconselho a todos a procurarem e a lerem ao sabor do tempo.
Pousa devagar a enxada sobre o ombro
Já cavou muito silêncio
Como punhal brilha em suas costas
A lâmina contra o cansaço
Daniel Faria - "Explicação das Árvores e de Outros Animais" (1998)

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Um Leão chamado Christian

A Editorial Presença está a apresentar Um Leão Chamado Christian de Anthony Bou e John RendellEm, uma obra em destaque, com saída marcada para dia 7 de Outubro.
Uma forte aposta desta editora.
Este livro descreve-nos o reencontro comovedor entre dois homens e o seu leão de estimação, Christian, que tinham encontrado quando bebé em Londres e devolvido ao seu habitat natural e selvagem em África um ano antes.
Aguardamos ansiosamente esta impressionante e comovente história que correu o mundo e que foi tema de centenas de programas televisivos, indo também ser adaptada ao cinema.

Um Leão Chamado Christian de Anthony Bourke & John RendellEm, um clip de vídeo extraordinário que já foi visto por mais de 44 milhões de pessoas.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Cultivar as crianças com leituras

"Na verdade, se cultivarmos nas crianças, e desde tenra idade, o gosto e o prazer de ouvir cantar e contar histórias, elas tornar-se-ão gradualmente fiéis amantes da leitura, compreendida como um valor, e intervenientes empenhadas no seu meio envolvente, privilegiando o bem comum em detrimento do egoísmo, que perturba o contacto fraterno com o próximo."

in A Arte, Mestra da Vida, p.26.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

A Obsessão do Fogo

"O e-book não matará o livro", "O livro não morrerá" são afirmações assertivas de dois amigos e homens que amam a cultura. Humberto Eco (um semiólogo e sociólogo) e Jean-Claude Carrière (argumentista de filmes) encetam uma verdadeira cruzada em torno dos livros e das bibliotecas ao longo de milhares de anos, cruzando pontos de vista, estórias e reflexões que os levam a reflectir sobra a idiotia e a imbecilidade do mundo, acabando por revelarem a eterna preocupação do Homem pelo fogo, principalmente em relação às bibliotecas. Todos sabemos que foi exactamente o fogo o grande responsável pelo desaparecimento de bibliotecas famosas e a perda incalculável de livros e incunábulos que testemunhavam a História da Humanidade.
É uma obra que proporciona cultura e nos desafia à reflexão sobre questões que nunca nos passaram pela ideia, mas que são reais, para se concluir que o livro é a nossa memória. Há, no entanto, uma passagem que não posso deixar de vos transcrever e que se relaciona com Portugal, contada por Humberto Eco, para mostrar o quanto se dá valor aos livros em determinadas sociedades (neste caso, a nossa). Conta ele:
"Vou contar-lhes uma história divertida. Visitei a biblioteca de Coimbra, em Portugal. As mesas estavam revestidas de um pano de feltro verde, um pouco como mesas de bilhar. Pergunto as razões dessa protecção. Respondem-me que é para proteger os livros dos excrementos dos morcegos. Porque não eliminá-los? Muito simplesmente porque eles comem os vermes que atacam os livros. Ao mesmo tempo, o verme não deve ser radicalmente proscrito e condenado. É a passagem do verme pelo interior do incunábulo que nos permite saber de que modo as folhas foram ligadas, se não há partes mais recentes que outras. As trajectórias dos vermes desenham, por vezes, estranhos padrões que emprestam um certo carácter a livros antigos. Nos manuais destinados a bibliófilos, encontramos todas as instruções necessárias para nos protegermos dos vermes. Um desses conselhos é utilizar o Zyklon B, a mesma substância usada pelos nazis nas câmaras de gás. É certo que mais vale empregá-la para matar insectos do que homens, mas faz uma certa impressão. Um outro método menos bárbaro consiste em colocar um despertador, daqueles que possuíam os nossos avós. Parece que o seu ruído regular e as vibrações que transmite à madeira dissuadem os vermes de sair dos seus esconderijos".

Responde Jean-Claude Carrière: "Por outras palavras, um despertador que adormece (pp. 281-282)".

Torna-se engraçado, mas aprendemos algo. Este diálogo, em jeito de reflexão, proporciona não só ideias como ferramentas culturais que nos enviam a uma aturada pesquisa sobre os livros e a cultura. E nesta época sitiada, incerta, em que o primeiro dever de cada um é, sem dúvida e quando possível, favorecer as trocas entre saberes, experiências, pontos de vista, projectos e esperanças, que todas estas tarefas serão possíveis com os livros e o diálogo entre culturas para que uma sociedade exista verdadeiramente.

Valorizemos o livro e as bibliotecas.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

A Arte, Mestra da Vida

Sinopse: "Este livro resulta do desejo de partilhar com o leitor reflexões e preocupações sobre a escola e a sua função milenar de preparar para a vida, implicando naturalmente o Conhecimento, a Cultura e a Arte, bem como a componente Formativa, na certeza da verdade humanista, enunciada por Séneca, de que cada um de nós ao ser útil aos outros é útil a si mesmo. Daí a relevância dada à relação ensinar-aprender, geradora de uma gratidão recíproca, profundamente marcada pela alegria desse encontro, que o tempo dificilmente apagará."
Do desejo de partilhar a sua experiência, a professora Maria do Carmo Vieira, neste pequeno livro, revela-nos a suas reflexões sobre o Ensino, sobre o papel da Escola na sociedade de hoje e sobre o gosto pela Leitura.
Acredita que é através do convívio com o Saber e a Arte que cada um de nós se entranha e humanamente se enriquece e se prepara para a vida. Esse papel cabe substancialmente às instituições escolares – a uma escola aberta a todos independentemente das suas diferenças, e que cultive valores como o esforço, o trabalho, a curiosidade, a amizade, o espírito de sacrifício e a exigência. Uma obra muito interessante...
"Toda a aprendizagem requer a harmonia entre o passado, presente e futuro, implicando uma estreita relação entre ensinar e aprender."
p.30
Nesse sentido, tem lutado pela qualidade do ensino, nomeadamente do ensino da língua portuguesa, indissociável do ensino literatura – "literatura essa que, a seu ver, foi incorrectamente isolada da língua e subestimada na classificação de mero tipo de texto, a par do informativo e do pragmático, acarretando o consequente desprazer pela leitura e pela escrita."
Ouça aqui a entrevista dada pela professora Maria do Carmo Vieira à TSF.

domingo, 20 de setembro de 2009

e se Obama fosse africano e outras interinvenções

Sinopse: "Na sequência do anterior Pensatempos, Mia Couto ressurge com um conjunto de textos de intervenção que resulta da sua participação em encontros públicos nos últimos anos. São textos de reflexão crítica de um autor de ficção que, ao mesmo tempo que reinventa o seu universo, não abdica da sua missão de pensar o mundo. As intervenções abordam temas que vão da política à literatura, da cultura à antropologia, mas todos eles confirmam como o escritor moçambicano faz da sensibilidade poética um modo de entender a complexidade do nosso tempo."
Li este livro durante as minhas férias.
Este autor não é um dos meus preferidos no entanto, este pequeno livro surpreendeu-me bastante. Não é nenhum romance, é um conjunto de textos que Mia Couto proferiu em diversas intervenções como seminários e colóquios...

As reflexões que faz sobre a língua são espantosas, actuais e obrigam-nos a repensar a mesma. A intertextualidade está muito presente e algumas situações parecem mesmo anedotas... mas não o são.
Para mim e ressalvo que não conheço muitas obras deste autor, este livro revelou ser a sua melhor obra.

Deixo-vos com alguma citações que espero vos possam aguçar o espírito...
"(...) eu experimentei o gosto pelo namoro entre a língua e o pensamento, o gosto do poder divino da palavra." p.115
"A escrita não é um veículo para se chegar a uma essência, a uma verdade. A escrita é a viagem interminável. A escrita é a descoberta de outras dimensões, o desvendar de mistérios que estão para além das aparências." p.120
"(...) é fácil - embora se vá tornando raro - ser-se solidário com os outros. Difícil é sermos os outros. Nem que seja por um instante, nem que seja de visita. (...) Dizemos que somos tolerantes com as diferenças. Mas ser-se tolerante é ainda insuficiente. É preciso aceitar que a maior parte das diferenças foi inventada e que o Outro (o outro sexo, a outra raça, a outra etnia) existe sempre dentro de nós." p.143
"A escrita é uma casa que eu visito, mas onde não quero morar." p.196

sábado, 19 de setembro de 2009

O Plano Nacional Leitura e a Gripe A

O Plano Nacional de Leitura publicou um livro para os mais novos sobre a gripe A. Tem imagens sugestivas e uma linguagem muito acessível sobre os cuidados de higiene a adoptar no sentido de prevenir contágio e evitar contrair a doença.
Nesta época de mudança de estação e com a chegada do frio será de todo o interesse que o mesmo seja trabalhado quer em casa pelos pais, quer nos jardins de infância e pelas educadoras... e não só.
«O Projecto «Ler +, agir contra a Gripe» visa melhorar a informação das crianças e dos jovens que frequentam as escolas e, através deles, das suas famílias e das suas comunidades sobre as formas de prevenir a Gripe A, no quadro estratégico de acção global contra a pandemia.
Conceptualmente, com este Projecto, pretendemos desenvolver um conjunto de iniciativas relacionadas com a leitura e a escrita, que contribuam para melhorar os níveis de literacia em saúde e a prevenção das doenças transmissíveis, em especial da Gripe. Atendendo a que o principal local de intervenção do Projecto é a Escola, as actividades serão centradas na comunidade educativa, sem perder de vista o potencial de divulgação das instituições envolvidas, tais como, as bibliotecas escolares e públicas. A operacionalização deste projecto passa pela utilização da rede digital do Plano Nacional de Leitura (PNL), através de actividades para serem desenvolvidas nos seus quatro eixos: «Ler + nas escolas», «Ler + nas bibliotecas», «Ler + em família» e «Ler+ em todo o lado».
As actividades previstas propõem a adopção de comportamentos inteligentes, que dificultem a transmissão do vírus, através de medidas de protecção da saúde individual e da saúde da comunidade, com o reforço da importância da lavagem frequente dasmãos e da protecção da boca e do nariz ao tossir ou espirrar, por forma a diminuir eatrasar o mais possível a propagação do vírus. A sustentabilidade do Projecto decorrerá da sua adaptabilidade às diferentes fases da pandemia.

1. Chegar a um elevado número de professores /educadores que utiliza a rede digitaldo Plano Nacional de Leitura na preparação das suas aulas, para a divulgação dasformas de prevenir a Gripe, de uma forma lúdico‐pedagógica, adequada às crianças de diferentes grupos etários, através de histórias e canções feitas por autores portugueses;
2. Contribuir para a leitura, a escrita e a redução da iliteracia em saúde;
3. Fazer uma abordagem lúdico‐pedagógico‐educativa da prevenção da Gripe A;
4. Envolver na resposta social contra a Gripe, escritores, músicos, poetas, actores efiguras públicas portuguesas que facilitem o combate à pandemia, em todas assuas fases evolutivas.»

Plano Nacional de Leitura / Biblioteca Digital

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

O meu livro - Da Decadência à Regeneração: Jacinto e o percurso de auto-descoberta em A Cidade e As Serras


“Eu penso que o riso acabou – porque a humanidade entristeceu. E entristeceu – por causa da sua imensa civilização. (...) Quanto mais uma sociedade é culta - mais a sua face é triste. (...) O Infeliz está votado ao bocejar infinito. E tem por única consolação que os jornais lhe chamem e que ele se chame a si próprio – O Grande Civilizado.”

Eça de Queiroz, “A Decadência do riso”, in Notas Contemporâneas, Lisboa, Edição “Livros do Brasil”, 2000, pp.165-166.

«Por uma empatia muito especial; percorri viagens nos romances e contos de Eça de Queiroz, não só em busca de prazer, mas principalmente em busca de algo que me despertasse uma curiosidade muito especial.

Desta maneira, iniciei uma longa caminhada sempre na companhia de personagens marcantes da obra queirosiana.
Naveguei com Teodorico até à cidade Santa, Jerusalém, em busca de A Relíquia para a sua querida Titi. Enjoei nos paquetes com Teodoro até à China em O Mandarim. Emocionei-me com os amores trágicos que envolveram o Padre Amaro e Amélia em O Crime do Padre Amaro, Luísa e Basílio em O Primo Basílio, Carlos Eduardo e Maria Eduarda em Os Maias, Vítor e Genoveva em A Tragédia da Rua das Flores. Visitei A Capital com Artur. Entediei-me na cidade de Paris, percorri as serras de Tormes e redescobri o riso com Jacinto em A Cidade e As Serras. Descobri a Torre de Gonçalo em A Ilustre Casa de Ramires. Sonhei e viajei em Os Contos, e por fim, descansei em “Um dia de chuva”.

Com estas leituras, o meu apreço pela escrita deste autor do século XIX cresceu e foi assim que a minha peregrinação à descoberta de uma simples palavra como o “bocejo” se iniciou. »

Um trabalho teórico que espero que seja útil para todos os que sofrem de "ecite".

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Importante é saber cultivar a amizade...

«Não importa se é um amigo ou "irmão do peito" ou se é um colega mesmo que distante, um ser humano merece ser respeitado por tudo o que ele representa.

A amizade denota isto tudo...


Mesmo sendo poucos momentos, faça deles como se fosse o último de sua vida...»