terça-feira, 26 de maio de 2009

Ardínia e Tedo e outras Lendas de Lamego

Finalmente, o trabalho de escrita do livro Ardínia e Tedo e outras Lendas de Lamego já está concluído e vai ser publicado esta semana.
Muitas horas de trabalho por parte de alunos desde os 11 anos até aos 14 anos. O livro está muito bem escrito... e não foi fácil... Tenho a certeza de que vão gostar.

"O fascínio das palavras, no sortilégio de lendas, narradas numa linguagem tão rica, cuidada e exigente,quanto repleta de sonoridades, imagens e sugestões."

Papiro Editora

Nota Introdutória: "A promoção de hábitos de leitura regulares estimula e consolida o processo de aprendizagem que, desde tenra idade, as crianças e jovens devem desenvolver. Na realidade, um livro pode proporcionar um mundo de experiências. Ao virar de cada página, a aventura, o drama, a comédia, o romance e muitos outros géneros, permitem aos mais novos abordar novas áreas do saber e satisfazer a sua aguçada curiosidade com conhecimentos e novas sensações. Por tudo isto, o livro e a leitura constituem um sólido contributo para o sucesso do sistema educativo e dos seus agentes. Por vezes, professores e alunos vão mais longe e tornam-se agentes activos do processo de criação de livros. Em boa hora, os alunos do segundo e terceiro ciclos do ensino básico do Colégio da Imaculada Conceição, respeitada instituição de ensino da cidade de Lamego, propuseram-se participar na reescrita de Ardínia e Tedo, uma história milenar associada à génese do Município de Lamego, de O Sino Dourado, e de outras lendas que, segundo a tradição, estiveram na origem do nome de alguns lugares, e de um rio, que nos são bem familiares (Britiande, Penajóia, Balsemão e Rio Douro). O resultado final é um livro muito interessante e didáctico. Estou certo que ajudará as gerações mais novas a descobrir um dos mais singulares e antigos exemplos do nosso valioso património cultural que povoa o imaginário histórico dos lamecenses.
Quero, em nome da Câmara Municipal de Lamego, felicitar o Prof. Fernando Marado, que mais uma vez se empenhou no trabalho activo com jovens com o intuito de fomentar a leitura, e todas as pessoas envolvidas na elaboração desta obra, professores e alunos, que, com mestria e entusiasmo, conseguiram rejuvenescer o espírito das lendas que estiveram na origem do Município de Lamego, e que até hoje sobrevivem ao esquecimento."
Presidente da Câmara de Lamego, Eng. Francisco Lopes

Exemplo a seguir: "Ao ler Ardínia e Tedo e Outras Lendas de Lamego, de autoria de Fernando Branco Marado e Jovens, lembrei um soneto que, em 2001, compus e lhe dediquei, e do qual me apraz transcrever a quadra: Caminheiro das grandes altitudes/Não se cansa nunca de subir/Exemplo vivo de sábias virtudes/Que não podemos deixar de o seguir… Desta feita, seguiram-no, uma vez mais, professores e alunos de uma das mais emblemáticas e conceituadas instituições educacionais de Lamego – o Colégio da Imaculada Conceição – a deixar patentear a altíssima qualidade no desempenho das suas funções e todo o amor e expectativa que deposita nos educandos e consecução dos objectivos. Neste caso, a arte de bem escrever e bem contar. Possuem, estas lendas reiventadas, enredos tão bem urdidos e conseguidos, que mais parecem realidades tangíveis e actuais, narradas numa linguagem tão rica, cuidada e exigente, quanto repleta de sonoridades, imagens e sugestões. Por isso, e olhando ao seu aspecto didáctico/pedagógico, fácil é de concluir que este Livro poderá transformar-se num excelente auxiliar de motivação e preparação para o estudo dos textos de autores do programa oficial e num bom exemplo de leituras complementares e paralelas. É também de salientar o rigor e a beleza das ilustrações de Jorge Vieira.
Que Lamego e o País saibam, pois, apreciar devidamente uma obra que é, simultaneamente, testemunho, cartaz e hino da ancestralidade e do valor histórico/patrimonial de uma Cidade, elevando-a e projectando-a."
Macário Ribeiro de Almeida

Nota Final: "Saber ler e escrever é interpretar a palavra. Quando cultivamos a palavra, estamos a formar algo que é mais que "saber", é "ser", na medida em que a palavra não vem do exterior; esta brota do interior das raízes humanas e corresponde a um desenvolvimento e amadurecimento interior. É pelo cultivo da palavra que se criam, no ser humano, as condições necessárias e favoráveis à compreensão e expressão que a mente abarca.
Orientar quem inicia estas lides do "obscuro mar" da palavra é o propósito do ensino da língua portuguesa e da literatura, e foi o propósito do Prof. Fernando Marado e da Prof. Ana Lúcia Baptista ao lançar mais um desafio aos nossos alunos do 2° e 3° ciclo do Ensino Básico, com a reescrita e a dramatização de Ardínia e Tedo e de outras lendas de Lamego.
“Na lenda de Ardínia e Tedo persiste a força mágica da memória e da imaginação de um povo, libertas num poetar congénito, à procura de uma consciência, de uma plenitude, em que o amor prevalecendo sobre a morte não aceita estar na imobilidade e no silêncio desta o nada de tudo, o nada absoluto”*. Em nome do Colégio da Imaculada Conceição de Lamego, quero agradecer profundamente o convite feito pelo Prof. Fernando Marado com quem é um prazer colaborar; congratular a Prof. Ana Lúcia Baptista e todos os professores envolvidos pelo o empenho e dedicação; felicitar os alunos das turmas de 5°, 6°, 7° e 8° anos do ensino básico pelo trabalho rigoroso e sério que desempenharam ao longo deste projecto; agradecer à Câmara Municipal de Lamego por participar nesta iniciativa; por fim congratular os pais e encarregados de educação por estarem sempre presentes na nossa instituição."
*Fernando Marado
Cristina Bernardes

2 comentários:

Argos disse...

Parabéns Cristina!

Este vou mesmo adquiri-lo!
Espero que seja facil encontrar.

Abraço

Cristina Bernardes disse...

O livro vai estar à venda na Fnac.