domingo, 11 de janeiro de 2009

Tobias e o Anjo

Li este livro e fiquei seduzida pela mensagem que nos transmite e pelo jeito, ilusoriamente simples, de lidar com as palavras, seleccionando-as, acomodando-as em frases/textos transbordantes de beleza.
É um livro que nos faz reflectir sobre as relações familiares, o impacto que elas podem ter nas crianças, o papel da escola, a importância da comunicação, o poder das palavras… E que nos obriga a deter em algumas frases ou expressões para apreciar a riqueza do seu conteúdo e a sua expressividade semântica, provenientes de uma evidente capacidade analítica e de uma fascinante criatividade da sua autora.
Conta-nos a história de uma menina que morava, com seus pais, num grande prédio nos arredores de uma cidade. Não tinha irmãos e os seus pais estavam sempre ocupados a berrar um com o outro. Por sorte, tinha o avô.
Os seus pais, nas fotografias do casamento, “tinham um brilho extraordinário nos olhos, como se uma fada tivesse deitado lá dentro lantejoulas”. Depois, este brilho desapareceu… A menina estranhava. “Os sonhos são como bolhas. De repente explodem e não fica nada. Com o nada também a luz se afasta.”- explicava o avô.
As contínuas discussões dos pais eram formadas por “palavras-térmitas”, “palavras-aranhas”, “palavras-escorpiões”… As palavras do avô eram muito diferentes. Não eram “palavras-pedrada-na-cara”. Em vez de fecharem as portas, abriam-nas. Eram “palavras-chave” e “palavras-manta”, “palavras-tépidas”, que aconchegam.
As”palavras-lixo” deixavam-na indiferente como uma pedra no meio do deserto.
As palavras da escola eram “palavras-confusão”, pois não respondiam a nenhuma das perguntas que enchiam a sua cabeça.
Quando o avô não estava, a menina sentia-se só. Ouvia a linguagem das coisas, mas não a das pessoas. Com as coisas, ela comunicava, falava sem abrir a boca, mas com as pessoas isso não era possível.
A menina tinha a sensação de que ninguém gostava dela, sentia-se um nada de que todos queriam ver-se livres.
E, um dia, saiu de casa e desapareceu…
O que lhe teria acontecido? Como teriam reagido os pais? Quem seria Tobias? E o Anjo?
Leia este livro e descubra as respostas a estas perguntas.

Às vezes, é preciso perder as coisas, para perceber a sua importância…

Lídia Valadares

5 comentários:

Cristina Bernardes disse...

Obrigado professora Lídia pela sua colaboração... mais um livro para ler, quem sabe com a ajuda da minha mais crescida.

isilda disse...

Lídia:
Já li o livro. É deveras interessante e bem imaginativo. Está adequado para os alunos que não conseguem passar a barreira do trivial. No entanto, é curioso como num discurso, não muito longo, se consegue dar conta dos verdadeiros problemas que afectam as crianças, cuja responsabilidade é dos pais e que estes, muitas vezes, não querem ver. Nada melhor que o ler. Alguns encarregados de educação deveriam lê-lo e depois fazerem uma introspecção, em vez de acharem que os seus filhos necessitam de ajuda para além da deles. Essa ajuda está nas suas mãos e a única forma de conseguirem que o filho seja alguém equilibrado e um cidadão completo é dedicarem-se ao seu acompanhamento alguns minutos por dia. Para além da trama que compõe a história, aquilo que lhe está subjacente é a realidade que temos: social, famíliar e escolar. Falhando a família, tudo desaba. E só quando perdemos os nossos entes queridos é que damos valor ao que tínhamos, Infelizmente já é tarde, na maior parte das vezes.
Fizeste muito bem em nos dar a conhecer mais esta história. Esperemos que algum dia possamos ver que aquilo que tantas vezes chamamos a atenção dos pais e encarregados de educação faça eco. Eu tenho esperança que sim. Nunca desistiremos.
Exemplos de leituras como esta são sempre de agradecer, nem que só nos reconheçam mais tarde.

Isilda Afonso

Cristina Bernardes disse...

Fantástica reflexão, obrigado Isilda.

CelyLua - O blog das Letras disse...

Oi Cristina,
Mais um blog fantástico! Parabéns!
Suas indicações de leitura são maravilhosas!
Deus te abençoe!
Bjss poéticos, rsrsss...
CelyLua.

code name: cherry chan disse...

olá! tenho que fazer um trabalho para a escola àcerca de um livro, e escolhi este. aliás, dos trabalhos, um para português e outro para inglês. este aqui optei por ser para inglês, uma vez que o outro livro que tinha que relatar é a Rapariga das Laranjas, que é bem mais complexo. este post calhou mesmo bem, para eu ter alguns pontos de referencia sem ser só o que eu acho do livro :)
adorei, li pela primeira vez andava no 5º ano prai, é mesmo lindo.
ja leste a rapariga das laranjas :)?