segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Poesia... para descansar

Os pássaros nascem na ponta das árvores
As árvores que eu vejo em vez de fruto dão pássaros
Os pássaros são o fruto mais vivo das árvores
Os pássaros começam onde as árvores acabam
Ao chegar aos pássaros as árvores engrossam movimentam-se
Deixam o reino vegetal para passar a pertencer ao reino animal
Como pássaros poisam as folhas na terra
Quando o Outono desce veladamente sobre os campos
Gostaria de dizer que os pássaros emanam das árvores
Mas deixo essa forma de dizer ao romancista
É complicada e não se da bem na poesia
Não foi ainda isolada da filosofia
Eu amo as árvores principalmente as que dão pássaros
Quem é que lá os pendura nos ramos?
De quem é a mão a inúmera mão?
Eu passo e muda-se-me o coração

Ruy Belo
Via Fernando Silva

6 comentários:

Mariane disse...

Gostei da poesia ;)

Carlos Pires disse...

Não estou certo que a poesia precise de ser isolada da Filosofia (já o contrário talvez não seja verdade, a bem da clareza e do rigor na procura da verdade), mas o Ruy Belo é um poeta que devíamos reler todos os dias. Por exemplo:

COMPOSIÇÃO DE LUGAR

Não caibo nesta tarde que me desfolhas
sobre o coração. Renovam-se-me sob os passos
todos os caminhos e o dia é uma página que lida
e soletrada descubro inatingível como o vento a rua e a vida
As mesmas mães que antes desfraldavam
domesticas insígnias abaixo dos beirais
emprestam novos pássaros às árvores
Pétala a pétala chego à corola desta minha hora
Roubo o meu ser a qualquer outro tempo
não há cm mim memória de alguma morte
em nenhum outro lugar me edifiquei
Arredondas à minha volta os lábios para me dizer
recuo de repente àquele princípio que em tua boca tive
Eu sei que só tu sabes o meu nome
tentar sabê-lo foi afinal o único
esforço importante da minha vida
Sinto-me olhado e não tenho mais ser
que ser visto por ti. Há no meu ombro lugar
para o teu cansaço e a minha altura é para ser medida
palmo a palmo pela tua mão ferida

Cristina Bernardes disse...

Obrigado, Carlos, por este contributo que enriquece a Floresta.

Carla Martins disse...

Adorei! :)

beijinhos

t i a g o disse...

Também gosto dessas árvores que dão pássaros... a poesia descansa a alma. :)

Silenciosamente ouvindo... disse...

Ruy Belo gosta da sua poesia.
Bjs./Irene