segunda-feira, 2 de março de 2009

A mitologia do livro


Abaixo a leitura de livros...
Sou contra livros ler
Esse acto, jamais devia acontecer
Os livros deviam ser abertos
E as palavras saírem nos momentos certos
Deviam ser como pássaros voantes
Para serem do Homem amantes
Deviam ser cavalos galopantes
Colocando-as vivas, frescas, dominantes
Para ousarem ser presenciadas
E pelo Homem serem utilizadas
Sou contra os livros folhear
Pois esse acto, pode o leitor viciar
Mas…
Sou a favor do livro preservar
Para ele todos os dias nos apaixonar
Como o seu encanto e dedicação
Com a sua magia e paixão
Ao Homem se poder acorrentar
Para a nossa vida melhor colocar…
João Paulo S. Félix

2 comentários:

Paula disse...

Gostei bastante do poema. Paradoxal...
Os livros são isso tudo, mesmo aquilo em que João Paulo Félix diz que é contra...mas acaba sendo a favor.
Gostei bastante.
:)

Cristina Bernardes disse...

Está muito bonito o teu poema, controverso mas verdadeiro!