segunda-feira, 9 de março de 2009

Ainda o Dia da Mulher

Poderia falar de mulheres célebres que se destacaram neste ou naquele campo, mas, neste dia, prefiro deixar aqui uma mensagem singela, mas sentida, a todas as mulheres que são umas verdadeiras heroínas, no seu dia-a-dia. Escolhi estes dois poemas, que considero belíssimos, para partilhar convosco.
Um abraço.

O Inventário

De que sedas se fizeram os teus dedos,
De que marfim as tuas coxas lisas,
De que alturas chegou ao teu andar
A graça da camurça com que pisas.
De que amoras maduras se espremeu
O gosto acidulado do teu seio,
De que Índias o bambu da tua cinta,
O oiro dos teus olhos, donde veio.
A que balanço de onda vais buscar
A linha serpentina dos quadris,
Onde nasce a frescura dessa fonte
Que sai da tua boca quando ris.
De que bosques marinhos se soltou
A folha de coral das tuas portas,
Que perfume te anuncia quando vens
Cercar-me de desejo a horas mortas.

José Saramago

Soneto à Mulher


Sou mulher na mais perfeita decisão
Feminina em aspectos, amarga em trilhos…
Tenho à carne, fina mistura no calor d’explosão
Da docilidade do olhar, à maturidade pra dar vida aos filhos

O feminino conceito é rotulado pelo mundo
De sexo frágil, plágio, concreta ou difusa…
Rosa escarlate, menina, inconstante, descarte…
Sou mais eu, aqui neste peito o sangue abusa!

Quero no mundo apenas meu lugar!
Nada mais justo, pois mulher eu sou.
Quero da vida apenas meus olhos brilhar!

Mesmo quando a idade me tragar,
Ainda assim serei ternura
Mulher eu sou, e disso ninguém me cura!

Ledalge, in Sonetos 2008
Lídia Valadares

3 comentários:

Janna disse...

Oie tem selinho pra vc no meu Blog BjOs!!!

isilda disse...

"Mulher eu sou e disso ninguém me cura" - É um verso magnífico! Nele está o verdadeiro âmago de quem tem a Honra de ser MULHER!
Podem concordar ou discordar do valor de se ser mulher, mas há algo que têm de reconhecer: nós brilhamos, ensinamos, formamos, sensibilizamos ... nós conseguimos que aqueles que geramos e educamos sejam, ainda, os verdadeiros cidadãos do mundo e contribuam para a passagem do testemunho de que a verdadeira obra (a sociedade) só é possível quando todos fazem eco daquilo que uma mãe ensinou e plantou.
Nunca é extemporâneo endeusar a mulher que merece um M grande e bem gordinho...
Concordo com tudo o que aqui tens colocado sobre o valor da mulher e do seu lugar no mundo. É pena que muitas se esqueçam da sua verdadeira missão.
Isilda

Lídia disse...

Obrigada, Janna!
Beijinhos.

Lídia Valadares